domingo, 30 de outubro de 2016

"É Notícia no Rádio" aborda o câncer de mama com a participação do médico Renato Barra


“Vamos falar sobre isso”? A edição deste sábado (29) do “É Notícia no Rádio” atendeu ao pedido da campanha Outubro Rosa. Através da entrevista concedida ao domínio público, o doutor Renato Barra, respondeu algumas dúvidas sobre o câncer de mama, doença causadora da morte de 458 mil pessoas no mundo anualmente, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

O movimento conhecido como Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama e promover a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença.

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Ocorre o crescimento anormal das células mamárias, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários. “Existem ainda casos, em suma maioria assintomático, ou seja, a mulher não apresenta sintomas fisicos. Por isso, é extremamente importante a realização do exame de mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética das mamas anualmente. Paras as mulheres com histórico familiar, a recomendação é que seja feita a partir dos 35 anos e para demais mulheres aos 40 anos”, explicou Renato.

Existem vários tipos de câncer de mama, mas alguns deles são bastante raros. Em alguns casos, um único tumor na mama pode ser uma combinação destes tipos ou ser uma mistura de câncer de mama in situ e invasivo. O Carcinoma Ductal Invasivo (ou infiltrante) é o tipo mais comum de câncer de mama. Se inicia em um duto de leite, rompe a parede desse duto e cresce no tecido adiposo da mama. A partir daí, pode se espalhar (metástase) para outras partes do corpo através do sistema linfático e da circulação sanguínea. Cerca de 80% dos cânceres de mama invasivos correspondem ao carcinoma ductal infiltrante.


Entre 1999 e 2003, quase metade dos casos de câncer de mama foram diagnosticados em estágios avançados, segundo estudo do Inca. Especialistas estimam que mortalidade por câncer de mama em mulheres entre 50 e 69 anos poderia ser reduzida em um terço se todas as brasileiras fossem submetidas à mamografia uma vez por ano. Confira no link abaixo, a participação do doutor Renato Barra.



ESTATÍSTICAS


- A proporção em homens e mulheres é de 1:100 - ou seja, para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença. 

- No Brasil, o Ministério da Saúde estima 52.680 casos novos em um ano, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. 

- Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, cerca de uma a cada 12 mulheres terão um tumor nas mamas até os 90 anos de idade. 

- Segundo o INCA, é que represente, em 2016, 28,1% do total dos cânceres da mulher.

DIREITO

Reabilitação profissional: o serviço da Previdência Social visa readaptar ou reeducar o profissional para o retorno ao trabalho, com o fornecimento de materiais necessários à reabilitação (tais como taxas de inscrição em serviços profissionalizantes e auxílios para transporte e alimentação). Todos os segurados da Previdência têm direito à reabilitação.

Auxílio-doença: terá direito ao benefício mensal desde que fique por mais de 15 dias com incapacidade para o trabalho atestada por perícia médica da Previdência Social e que tenha contribuído com o INSS por no mínimo 12 meses (embora haja exceções). 

Aposentadoria por invalidez: Terá direito ao benefício se for segurada da Previdência Social e a perícia constatar que está incapacitada permanentemente par ao trabalho. Via de regra, é preciso ter contribuído com o INSS por, no mínimo, 12 meses para obter o benefício. 

Isenção de imposto de renda: você tem direito à isenção do imposto de renda sobre os valores recebido a título de aposentadoria, pensão ou reforma, inclusive as complementações recebidas de entidades privadas e pensões alimentícias, mesmo que a doença tenha sido adquirida após a concessão da aposentadoria, pensão ou reforma.

IPTU: não existe uma legislação nacional que garanta a isenção do IPTU para pessoas com determinadas patologias, como o câncer de mama, mas, como se trata de um imposto municipal, algumas cidades já garantes a isenção. Informe-se na Secretaria de Finanças do seu município.

Cirurgia de reconstrução mamária: você tem direito a realizar a cirurgia reparadora gratuitamente, tanto pelo SUS como pelo plano de saúde. Se estiver em tratamento no SUS, exija o agendamento da cirurgia no próprio local e, se não estiver, dirija-se a uma Unidade Básica de Saúde e solicite seu encaminhamento para uma unidade especializada em reconstrução mamária. Pelo Plano de Saúde, consulte um cirurgião credenciado.

Para todos os casos, recomenda-se procurar uma agência da Previdência Social ou ligar para o telefone gratuito 135 para obter o direcionamento especializado.

O PROGRAMA


O “É Notícia no Rádio” repercutiu ainda o anúncio de novos investimentos para duplicação da BR-104, o retorno de mais de 2 milhões de eleitores às urnas em Pernambuco; o aumento de R$ 5,8 bilhões na economia pernambucana devido ao pagamento da segunda parcela do 13º salário; a abertura da selecão para vaga de estágio em Marketing na Acic, além dos lances do campeonato brasileiro de Futebol e Motocross.

Por Antonio Carlos
Jornalista DRT PE 6154

Nenhum comentário:

Postar um comentário