domingo, 19 de junho de 2016

ARTIGO O TURISMO E OS POLÍTICOS DE CARUARU


O TURISMO E OS POLÍTICOS DE CARUARU
Existe um ditado árabe que diz: “Quem planta tâmaras, não colhe tâmaras!”. Isto porque uma tamareira leva de 80 a 100 anos para produzir os primeiros frutos. Fazendo uma simples analogia, também é assim com as ações no Turismo. Planta-se hoje, para colher no futuro.

O Turismo é uma atividade altamente lucrativa para uma cidade, todos ganham. É inquestionável sua importância sócio-econômica: impostos, empregos, preservação e valorização do patrimônio histórico-cultural e do meio ambiente, intercâmbio entre os povos etc. Mas tudo isto só ocorre, se existe interesse do povo que acolhe esses visitantes, do poder público com vontade política, das ações de propaganda e nomeadamente dos investimentos em infraestrutura, equipamentos e serviços turísticos.

Alardamos aos quatro cantos que as Festas Juninas de Caruaru contituem-se um forte atrativo turístico, mas será que não estamos refletindo influenciados pela emoção? Pelo amor à Terra? Questiono isto porque ultimamente, no formato em que se nos apresenta, o São João a cada ano deixa de ser um atrativo turístico e propagador de nossa cidade, para converter-se em apenas uma festa/show de rua. Analisemos tecnicamente, pela razão:
- Qual o montante de imposto arrecadado e que refletirá em benefícios para a comunidade?
- Quantos empregos diretos e indiretos gera? Isto reflete-se para todo o ano ou é meramente sazonal? Poderá o turista aproveitar a “Capital do Forró” em outras épocas ou terá que vir exclusivamente no mês de junho, ou melhor, nos finais de semana do mês de junho para assistir a um show, às vezes de atrações nacionais que também circulam pelos núcleos emissores desses turistas?
- A Festa procura preservar e valorizar nosso patrimônio histórico-cultural e o meio ambiente? Existe algum trabalho de conscientização da população sobre a importância da tradição, o significado da festa, o receptivo ao turista?
- A Infraestrutura da cidade atende bem à sua população e pode também ser usada pelos que nos visitam?
- Os Equipamentos e Serviços Turísticos disponíveis estão adequados, capacitados e praticam preços justos e compatíveis com o mercado? Recebem incentivos do poder público e conseguem manter-se o ano inteiro enfrentando a sazonalidade?

Por último, fico a pensar se temos gestores públicos que platam tâmaras para o Turismo ou se são do tipo que não perdem tempo plantando o que não vão colher. Se pensam e agem com obras eleitoreiras, ninguém muito em breve, colherá tâmaras em Caruaru.

O artigo é de total responsabilidade de seu autor!
Por: Moisés Feitoza Bonifácio
Turismólogo, Guia de Turismo e Agente de Viagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário