domingo, 8 de maio de 2016

A participação da mulher na política é destaque no “É Notícia no Rádio”



Fotos: Flávio Amorim / É Notícia no Rádio






No ano de eleições municipais, o “É Notícia no Rádio”, recebeu neste sábado (07) a graduada em Direito, especialista em Direitos Humanos e militante política do PC do B em Santa Cruz do Capibaribe, Iana Paula Sousa, para falar sobre a participação feminina na política.

Nesta 17ª edição, o programa destacou encaminhamento de doação de terrenos para igrejas evangélicas Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe; as ações comunitárias da Guarda Municipal; a abertura das inscrições para Mutirão dos Superendividados no Procon; os preparativos para a 22ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana pela Acic; a inauguração da nova Escola Técnica do SENAI no município; a reta final do Campeonato Municipal de Futebol dos Sítios 2016; a criação de projeto de incentivo à leitura pelo Vereador Professor Afrânio e o encontro de autoridades e entidades de Santa Cruz do Capibaribe na busca de soluções para abastecimento de água.

Os apresentadores Josy Santos e Jair Sérgio, assim como, o social média, Flávio Amorim recebem nos estúdios da emissora santa-cruzense a graduada em Direito, especialista em Direitos Humanos e militante política do PC do B, Iana Paula, para discutir os novos caminhos da mulher da Política. Em abril, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), lançou a campanha, “Igualdade na Política”, a ação visa incentivar as mulheres a fazer parte ativamente da vida política do país por meio de candidaturas a cargos públicos.

Ao longo da nossa história a mulher não podia votar nem ser votada, somente me 1932 no governo de Getúlio Vargas as mulheres puderam votar e no ano de 1933, elas podiam se candidatar a cargos políticos, a primeira mulher brasileira a se tornar deputada federal foi, Carlota Pereira de Queiroz. É relativamente novo o tempo de participação das mulheres em funções públicas, tendo as mulheres que lutar para quebrar preconceitos e paradigmas criados ao longo do tempo por uma sociedade excludente e machista.

O fato de serem maioria na população e em representatividade na economia, a porcentagem ocupadas em vagas eletivas é muito pequena no Brasil. São 10% dos deputados federais e 14% dos senadores não sendo diferente quando se trata de cargos ocupados nas Assembleias Estaduais e menor nas Câmaras de Vereadores e nos poderes Executivos. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil só está à frente do o Haiti, Belize e São Cristóvão.

Segundo Iana Paula as campanhas e a lei em si em consonâncias com as cotas não são suficientes para mulheres preencherem esse espaço, se fazendo necessário promover um debate mais amplo, visto que vivemos em uma sociedade machista em que as mulheres ocupam cargos voltados para o “cuidado” humano e não em cargos ocupados por homens como na Secretaria de obras, por exemplo. A lei 9.504/1997 das eleições reserva 30% dos cargos políticos para serem ocupados por mulheres e 70% por homens, estando sujeitos a penalidades judiciais os partidos que não preencherem a efetiva ocupação dos 30%.

O PROGRAMA

O “É Notícia no Rádio” vai ao ar, todos os sábados, das 7h às 8h da manhã pela rádio IGM 88.9. Além do blog É Notícia, os ouvintes podem enviar as suas sugestões de pautas pelo WhatsApp (81) 9.8907-5045.

Por: Josy Santos e Antonio Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário