domingo, 21 de fevereiro de 2016

Após 86 dias preso Delcídio Amaral vai para casa


O ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, revogou na ultima sexta-feira (19) a prisão preventiva do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo Dilma no Senado. Delcídio estava preso havia 86 dias, acusado de tentar obstruir as investigações contra pessoas envolvidas no escândalo da Petrobras.

O ministro Teori – um dos mais técnicos, reservados e isentos da Suprema Corte, além de avesso a holofotes – considerou que não havia mais necessidade de manter Delcídio preso. Agiu conforme a lei, pois Delcídio não tem antecedentes criminais, tem endereço certo e não representa ameaça à ordem pública. Em dezembro, o ministro indeferiu o pedido de relaxamento da prisão do senador, mas nesta sexta-feira mudou de ideia. “Conforme reconhece expressamente a manifestação do Ministério Público, a medida extrema já não se faz indispensável, podendo ser eficazmente substituída por outras medidas”, acrescentou.

O senador ficará em prisão domiciliar e vai poder soltar às suas atividades no Senado. O ministro decidiu também que ele deverá se apresentar à Justiça a cada 15 dias, recolher-se à noite e não poderá deixar o país, devendo entregar o passaporte no prazo de 48 horas. Delcídio estava preso desde o dia 25 de novembro, acusado pelo Ministério Público Federal de dificultar as investigações da Lava-Jato.

A prisão teve por base gravações feitas por um filho do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, em que Delcídio discute alternativas para tirar o dirigente da estatal do Brasil e viabilizar uma mesada mensal de R$ 50 mil para os seus familiares. No Senado, Delcídio voltará a ser um dos liderados do senador pernambucano Humberto Costa (PT).

Nenhum comentário:

Postar um comentário