sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Santa Cruz do Capibaribe realiza operação “mata mosquito”


Desde que a campanha de combate às viroses invadiu as casas, a população de Santa Cruz do Capibaribe tem vivido dias intensos de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika Vírus e Chikungunya. Na manhã desta quinta-feira (03), um grande mutirão uniu agentes de saúde, de endemias, voluntários e alunos da rede pública de ensino na operação “mata mosquito”, no centro da cidade, fiscalizando e orientando a população na eliminação dos focos.

Além dos profissionais de atenção básica, a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, através da Secretária de Saúde, trabalhou junto com as secretarias de Educação, Serviços Públicos, Cidadania e Inclusão Social no desenvolvimento de ações integradas. “Percebemos a necessidade de unir essas secretarias nas ações de enfrentamento ao Aedes aegypti. Um trabalho conjunto que tem como foco principal evitar que o mosquito encontre abrigo em nosso município,” frisou o prefeito Edson Vieira. Segundos dados da Secretária de Saúde, cerca de 90% dos focos de proliferação do mosquito se encontram dentro das residências. “Muitas vezes os moradores pensam que basta fechar o reservatório com um pano ou com uma telha ondulada, mas esquecem das aberturas deixadas por esses fechamentos caseiros,” destacou o secretário de Saúde, Breno Feitoza. Apenas a vedação total e adequada para cada reservatório d’água é capaz de impedir o desenvolvimento do mosquito.

Outra barreira diagnosticada pela Saúde é a resistência de parte da população no acolhimento dos agentes. Muitas pessoas não querem receber o profissional no seu ambiente de trabalho para não comprometer o andamento da produção. “Alguns afirmam que não podem perder tempo vistoriando os reservatórios conosco. Pois, tem que produzir tantas peças, nos pedem para voltar outro dia”, contou o coordenador de Vigilância Ambiental, Kaio Magno. 

Para que a extinção dos Aedes aegypt aconteça é necessário que todos tomem posse da sua responsabilidade na prevenção e combate do mosquito. A eliminação dos focos vão desde uma tampa de garrafa pet com acumulo d´água até uma piscina sem os devidos cuidados.

Informações da Assessoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário