quarta-feira, 15 de julho de 2015

Compesa vai usar “volume morto” da barragem de Jucazinho


Em razão da seca que castiga o Agreste, a Compesa anunciou em Caruaru, nesta quarta-feira (15), que se não chover nos próximos 20 dias vai usar o “volume morto” da barragem de Jucazinho, principal reservatório que abastece o município. O reservatório, capaz de acumular 327 milhões de metros cúbicos de água, está com apenas 3,88% de sua capacidade. É o nível mais baixo desde o ano de 2004 quando ela passou a ser utilizada para abastecimento humano.

Segundo o diretor do Interior, Leonardo Selva, a companhia vai fazer uso do “volume morto” para evitar o colapso no abastecimento em 12 municípios dos 15 municípios atendidos pela barragem. Em caráter emergencial, disse o diretor, Caruaru será atendida pela Barragem do Prata, que conseguiu armazenar água com as chuvas ocorridas nos últimos meses e está com 63% da sua capacidade de acumulação.

Mas, sem a parceria com Jucazinho, será necessário ampliar o racionamento de água na cidade. Pelo cálculo dos técnicos da Compesa, água do “volume morto” de Jucazinho é suficiente para atender as 12 cidades até dezembro deste ano ou, no máximo, até janeiro de 2016.

A longo prazo, a Compesa prepara um projeto para levar água da barragem de Pirangi, em Escada, para a barragem do Prata, situada no município de Bonito, ao custo de R$ 60 milhões. A barragem de Jucazinho atende as cidades de Surubim, Frei Miguelinho, Toritama, Santa Maria do Cambucá, Vertentes, Vertente do Lério, Casinhas, Frei Miguelinho, Cumaru, Passira, Riacho das Almas, Caruaru, Bezerros, Gravatá e Santa Cruz do Capibaribe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário