segunda-feira, 25 de maio de 2015

Maracatu e cavalo marinho viram patrimônio imaterial

Foto: Roberto Pereira/SEI
Manifestações culturais típicas da Mata Norte do Estado, o maracatu de baque solto e o cavalo marinho receberam neste domingo (24) o título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. E o local escolhido para a oficialização não poderia ser outro que não o terreiro do Maracatu Cambida Brasileiro, na zona rural de Nazaré da Mata, o mais antigo em atividade no Estado (desde 1918) e contou com a presença do governador Paulo Câmara.

As duas manifestações foram reconhecidas em dezembro passado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “É um passo importante a imaterialidade de expressões culturais tão antigas, mas tão atuais, onde as pessoas se divertem e repassam para as gerações. Os maracatus de Baque Solto e Cavalo Marinho representam a cultura de Pernambuco há muito tempo; eles precisavam desse fortalecimento”, destacou Paulo Câmara.

De acordo com o governador, os títulos concedidos pelo Iphan mostram que a cultura pernambucana é “forte”. “Nossos artistas são generosos e lutadores. O Governo continuará apoiando, para que esse legado fique para as próximas gerações. A riqueza de um Estado e a riqueza de uma nação vêm da cultura”, argumentou Paulo.

Com as condecorações dos maracatus de Baque Solto e do Cavalo Marinho, Pernambuco se consolida como o Estado com o maior número de manifestações culturais com título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil; são oito no total. Hoje, 36 manifestações possuem o título no País.

Fonte: Blog da Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário