terça-feira, 5 de maio de 2015

Paulo Câmara e Geraldo Julio se reúnem com presidente da TAM para atrair HUB


O prefeito Geraldo Julio (PSB) e o governador Paulo Câmara (PSB) se reuniram, nesta segunda-feira (4), em São Paulo, com a presidente da TAM Linhas Aéreas, Cláudia Sender, para tratar da possibilidade do Recife virar o primeiro hub (centro de conexões de voos domésticos e internacionais) do Nordeste para o grupo Latam Airlines. A empresária afirmou que existe uma boa possibilidade de parceria da companhia aérea com o Recife e o Estado.

De acordo com Geraldo, o encontro foi bastante positivo. “Acredito que o Recife ficou muito bem posicionado, nós pudemos mostrar a pujança econômica do Estado hoje, a industrialização do Estado, a demanda de cargas, o crescimento do turismo”, destacou o gestor. Com a instalação do hub, o Estado receberia um investimento de R$ 4 bilhões e a geração de 12 mil empregos.

O Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes Gilberto Freyre recebe cerca de 7,2 milhões de passageiros por ano, conforme dados de 2014. A capacidade do terminal é de 16,5 milhões, ou seja, o volume pode ser aumentado em 9,3 milhões de passageiros. Atualmente, as companhias American Airlines, Avianca, Azul, Cabo Verde Airlines, Copa Airlines, Condor, Gol, TAM e TAP operam, entre pousos e decolagens, uma média de 108 voos por dia, conectando a capital pernambucana a 63 destinos em 30 países de todo o mundo.

Entre as vantagens oferecidas pelo Recife para atrair o empreendimento está uma possível concessão de benefícios fiscais sobre o combustível. A contrapartida da companhia seria o reforço no número de voos ligando o Recife a outros destinos nacionais e até internacionais. Na prática, isso resultaria em voos diretos ou mais curtos entre a capital pernambucana e a Europa, sem conexão em São Paulo ou Rio de Janeiro.

Além do Recife, estão no páreo as cidades de Fortaleza e Natal. A previsão é que a escolha seja feita até o fim deste ano, para que as operações do hub comecem em dezembro de 2016.

Fonte: Blog da Folha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário