terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Dr. Edson Souza disse em coletiva que muitos documentos desapareceram e a culpa seria de Roberto Asfora


Durante coletiva de imprensa nesta terça em Caruaru, o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Dr. Edson Souza (PTB), esclareceu alguns pontos envolvendo sua gestão ao longo desse ano, as decisões judiciais que o tiraram do cargo e o fizeram reassumir o mandato em agosto, os projetos para 2015 e as declarações do ex-prefeito Roberto Asfora, sugerindo que ele (Edson) seria gay.

Segundo o chefe do executivo, o seu mandato começa a partir do próximo ano. “Vamos correr atrás e tentar fazer quatro anos em dois. Depois do processo de cassação nós não conseguimos ficar concentrado em mais nada, mas temos tentado e realizamos reuniões sistemáticas na prefeitura para tentar agora focar na administração do município”, explicou o prefeito.

Dr. Edson ainda criticou a forma como encontrou a Prefeitura de Brejo, antes administrada por Roberto Asfora (PSDB). “Nós não encontramos documentos licitatórios, toda levada pelo ex-prefeito como se ele fosse proprietário dessas licitações ou da Prefeitura. Ele teve que devolver tudo por decisão da justiça, porque procuramos a justiça, quase um mês depois de termos voltado a gestão. E fora isso, estamos analisando o porque de um contrato de transportes no valor de quase R$ 3 milhões ter sido feito sem licitação”, pontuou.

A coletiva de imprensa foi motivada principalmente depois das declarações do ex-prefeito de Brejo numa entrevista onde chamou o atual gestor de gay. Segundo Edson Souza, nada passou de um ato de desespero por parte de Roberto Asfora em não estar mais a frente do executivo municipal.

Fonte: Blog Magno Martins por Ana Rebeca Passos


Nenhum comentário:

Postar um comentário