quinta-feira, 20 de novembro de 2014


Calçadão Miguel Arraes, do projeto até hoje o Calçadão é o calo da oposição

Foto:Internet

Prestando atenção aos últimos dias, percebe-se que enquanto mais se aproxima a entrega do Calçadão Miguel Arraes, mais os vereadores de oposição tentam de toda forma descredibilizar o projeto e a sua importância para a economia de Santa Cruz e região. Analisem, na linha de frente dos ataques estão os vereadores Deomedes e Carlinhos da Cohab, fiéis escudeiros do vereador Ernesto Maia, que não vem aparecendo muito para tentar esconder seu fracasso nas urnas e suas brigas de “sangue” com seu tio, o deputado Zé Augusto. 

No entanto, desde o anúncio da obra que Ernesto, Carlinhos e Deomedes criticam, tentam manchar e até atrapalhar todos os passos do Calçadão. Só para lembrar, quando o projeto foi apresentado e seria bancado em parceria com os comerciantes, esses vereadores começaram uma luta contra a realização do mesmo. Alguns fatos ocorridos: 

1º Disseram que os custos seriam altos e que a população não poderia pagar, formaram comissão e contrataram advogados para entrar com ação na justiça contra a realização da obra. 

2º Falaram que muitos comerciantes haviam ficado de fora, mas até hoje não comprovaram nada. 

Foto: É Noticia
3º Alegaram que o prefeito deveria procurar o governador e seus deputados para pedir recursos e que eles também fariam o mesmo e assim o povo não pagaria nada. O prefeito procurou o governador Eduardo Campos e conseguiu recursos para o Calçadão ser de graça para o povo, enquanto os vereadores de oposição não se importaram em conseguir nada, apenas tentaram atrapalhar.

4º Criaram impasse na escolha do local provisório enquanto o atual Calçadão era construído.

5º Tentaram de todas as formas jogar os colocadores de bancas e ambulantes contra a gestão municipal, mas a gestão incluiu essas pessoas e não ficou ninguém de fora.

6º Votaram contra um pedido de suplementação feito pela prefeitura para o pagamento da última parcela da obra, o que resultaria em atraso na entrega.

7º Nesses últimos dias alegam que pessoas ligadas ao prefeito estão sendo beneficiadas com bancas, que confeccionistas estão perdendo pontos e sendo excluídas, mas não apresentam provas.

8º Entraram com ação no Ministério Público pedindo a lista de contemplados, isso para atrasar a entrega dos alvarás, sendo que bastava solicitar a lista na secretaria de feiras e mercados.

Então, caros leitores, essas poucas questões mostram um pouco da forma de fazer política dos três vereadores de oposição, a política do “quanto pior melhor”, na qual se apresentam sempre críticas e nunca soluções.


Foto: É Noticia


Por outro lado, a gestão municipal não mediu esforços desde a elaboração do projeto até a realização da obra. O prefeito lutou e conquistou os recursos, contou com agilidade de sua equipe para executar a obra no tempo previsto, foi feito o cadastramento de todos os comerciantes que vendiam no antigo Poeirão desde de 2013 para evitar aproveitadores, foi mantido todo cuidado para nenhum confeccionista ficar de fora e foi montado um ponto de atendimento aos confeccionistas.
Foto: É Noticia
Para finalizar, o Calçadão Miguel Arraes irá beneficiar aproximadamente cinco mil famílias diretamente, entre donos de boxes, lanchonetes, quiosques e ambulantes. Então, leitor, usando o bom senso fica fácil de saber quem está usando da situação para fazer política e quem está com a verdade.

Foto: É Noticia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário